Como tudo começou…

8 02 2010

Já que houve uma pausa forçada na ordem cronológica dos relatos das minhas viagens, e atendendo a pedidos, replicarei aqui, com os devidos ajustes, o texto que fiz para o site do nosso casamento.

“É uma longa história… na verdade não.

Eu estava de férias na Islândia e visitei o Museu das Bruxas. Comprei um colar que tinha um “feitiço do amor” e, aproveitando o sol da meia-noite e as águas naturalmente quentes do lugar, inventei uma macumbinha (boacumbinha) pedindo a Freya, deusa nórdica do amor, que eu encontrasse A mulher.

Enquanto isso, em Belo Horizonte, Patrícia teve um sonho em que voa por entre montanhas e, ao chegar no chão, encontra seu anjo da guarda que aponta para um cara ao longe, e diz: “É aquele ali. Você vai reconhecê-lo pelos olhos, mas ele não sabe de nada”.

Sem saber de nenhuma dessas histórias, Carol, nossa madrinha, cismou que a gente tinha que se conhecer, de qualquer forma. Então, no dia 12 de julho de 2008, eu fui a BH para o casamento de um amigo e me hospedei na casa da Carol, que aproveitou a oportunidade para nos apresentar.

Nem preciso dizer que, quando ela viu meus olhinhos, lembrou imediatamente do seu sonho e começou a achar que poderia ser verdade. E eu também desconfiei que Freya já estava fazendo a sua parte.

Desde então, nos encontramos todos os fins de semana, mesmo eu morando no Rio e ela em BH. Até que ficou chato morar longe e eu a trouxe para morar comigo.

Como somos pessoas sérias, não poderíamos viver em pecado por muito tempo, então resolvemos acabar com a pouca-vergonha e oficializamos nosso casamento em 23 de janeiro.”

Anúncios