God Save the Queen

13 10 2009

Uma tradição que começa a se consolidar no Brasil, mas que já é muito comum no Hemisfério Norte, é a viagem de formatura da escola. Em vez de festa, a turma escolhe um destino e passa uma semana para comemorar o fim de um ciclo escolar.

O destino escolhido para nossa viagem de formatura foi Londres. Não poderia haver um destino melhor, para coroar o ano que mudou minha vida radicalmente!

Durante todo o ano nos preparamos para essa viagem: fazíamos pizza e outras guloseimas para vender nos horários de intervalo, fizemos pesquisas sobre a cidade, estudamos inglês com os textos da peça Os Miseráveis, que iríamos assistir numa noite do nosso passeio.

Para pegarmos o ferryboat para o Reino Unido, tivemos que atravessar toda a Dinamarca. Pegamos um ferryboat noturno de Bornholm até Copenhaguen, depois um trem até Korsør, ferry novamente para atravessar o Storebælt – em 1995, a ponte que atravessa o Storebælt (entre Korsør e Nyborg) estava sendo finalizada, e a ponte que liga Copenhaguen a Malmö ainda era um sonho distante – mais um trem de Nyborg até Esbjerg, onde pegamos o ferryboat com destino a Harwich, porto de entrada da Inglaterra.

Este ferryboat era enorme e tinha de tudo: discoteca, cinema, fliperama, máquinas caça-níquel. Pena que passamos por uma tempestade terrível, que fazia o barco subir e descer e deixar muita gente enjoada. Eu mesmo tive que me deitar um tempo para poder passar a tonteira… a parte divertida era a energia estática que carregava o ar, e era só esfregar um pouco o tênis no carpete e chegar o dedo na orelha ou no pescoço de alguém para dar um choquinho, gerar um susto e muitas gargalhadas!

A viagem durou a noite toda, e chegamos em Harwich por volta de meio-dia e meia. Como boas vindas, estava nevando bem de leve. Pegamos mais um trem com destino a Londres, e finalmente chegamos à estação de Paddington, onde pegamos o metrô até o hotel onde nos hospedamos. Não me lembro o nome do Hotel nem seu endereço, e infelizmente não anotei nada disso… seria interessante rever o lugar, nem que fosse pelo Google Maps. Chegamos às 15h30, quase 21 horas depois de sair de Bornholm!

O primeiro choque cutural foi com a torneira do banheiro e do chuveiro… para abrir, deve-se girar no sentidoanti-horário, ao contrário do que estamos acostumados… resultado, quase me queimei ao abrir ainda mais a água quente em vez de fechar a torneira… depois, ao sair na rua pela primeira vez, por mais que você saiba que tem que olhar para a diretia antes de atravessar a rua, e tem escrito isso em todo lugar – no chão, nas placas, etc. – eu acabei olhando para o lado esquerdo e quase fui atropelado…

Na primeira noite, lanchamos no McDonald’s e passeamos pela Queen’s Way, para comprar algumas lembrancinhas e postais. Fomos também ao Piccadilly Circus, talvez a praça mais famosa de Londres, ou um dos locais mais fotografados por turistas no mundo. Fiquei fascinado com os grandes painéis de neon e com pessoas do mundo todo com suas câmeras frenéticas espoucando flashes sem parar.

No dia seguinte, fizemos um City Tour bem legal, com uma guia dinamarquesa dando todas as explicações e curiosidades dos lugares, passando pelas maiores atrações turísticas da cidade – Torre de Londres, Tower Bridge, Big Ben e Houses of Parliament, Buckingham Palace. Já que teríamos passeios mais detalhados em algumas dessas atrações nos dias seguintes, fizemos apenas algumas paradas – Saint Paul’s Cathedral, Trafalgar Square, National Gallery, Covent Garden e Regent Street.

O passeio durou o dia inteiro, e à noite ainda encontramos um rinque de patinação no gelo, e todos adoraram a idéia de fechar o dia com um pouco de patinação. Aprender a patinar foi muito fácil… na reta!!! Qualquer mínima curva era destino certo ao chão gelado e molhado… mas foi uma noite muito divertida, com muitos tombos e risadas.

O terceiro dia começou com um passeio à Torre de Londres, e sua exposição de armamentos, armaduras e as jóias da coroa inglesa. Em seguida, fomos ao Tower Hill Pageant, uma espécie de montanha-russa que conta toda a história de Londres. Logo após, fomos ao London Dungeon, um tipo de trem-fantasma que, pelas minhas anotações, foi muito chato e não recomendado. Com a tarde toda livre, passeamos pela região do Piccadilly Circus, atrás de mais lembranças, fotos e presentes. Jantamos num Pizza Hut, onde a garçonete era portuguesa e eu voltei a falar português com outra pessoa depois de muito tempo. Como brinde, ganhamos uns balões de hélio e, obviamente, usamos os balões para mudar nossas vozes e rir muito! Para finalizar a noite, um passeio ao Funland, uma casa com três andares de fliperama.

No penúltimo dia, passeamos pelo Royal Albert Hall e pelo Museu Nacional de História Natural, que é impressionante. Como um bom escoteiro que eu era naquela época, aproveitei a chance para ir à Baden Powell House. Pensei que era um museu em homenagem ao fundador do escotismo, mas não passava de um albergue/centro de convenções para escoteiros. Valeu apenas pela lojinha de lembranças. Logo após, noite “>fomos ao Harrod’s, a maior loja de departamentos do mundo, e à noite fomos à tão esperada peça que havíamos estudado o ano todo: Os Miseráveis, de Victor Hugo. Uma noite de gala, assistindo a uma peça de teatro famosa em uma das capitais do mundo, era tudo muito grandioso para um tabaréu recém-saído de Montes Claros.

O último dia foi para arrumar as coisas, fazer check-out do hotel, ir para a Liverpool Station e aguardar a hora para iniciar a volta para a Dinamarca. Desta vez não houve neve, tempestade, o mar estava calmo e pudemos aproveitar melhor as facilidades do ferryboat.

Depois dessa vez, já voltei a Londres mais duas vezes, em 2007 e 2008. Nessas duas viagens fui a trabalho, com a cabeça completamente diferente daquela de 1995, então tive uma percepção diferente da cidade, além de poder conhecer outros lugares e situações. Mas isso fica para outro post…

Anúncios

Ações

Information

3 responses

16 10 2009
ely rene

legal. Muito legal. Naquela época vc já se preocupava em anotar suas observações para editar futuramente$. Tem um roteiro para escrever os post ou vai fazendo aleatoriamente$
De toda forma, parabéns pela iniciativa.

21 10 2009
Luciana

Meu deus do céu, que lugar plano! Não te deu um pouco de aflição não? Hehehehe!
Nossa Hernani, isso é que é viagem de formatura! Fantástico!
Aguardamos mais relatos!
Abração!

21 10 2009
Luciana

Hernani, uma pergunta: Londres tem mais cara de cenário de filme, ou de livro?
O que você acha?
Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: