Grande Sertão

12 08 2008

Minha família se mudou de Montes Claros e me levou para Janaúba quando eu tinha menos de seis meses de idade. De lá, eu só me lembro da viagem de trem que fiz um tempo depois, com meus irmãos mais velhos, para visitar velhos amigos deles. E daquele carnaval que catei um bocado de mato na estrada por causa de um ônibus com farol alto.

Depois moramos em Francisco Sá, o famoso Brejo das Almas. Eu me lembro do cajueiro que tinha no quintal de casa, e das várias vezes que voltei à cidade na adolescência para festas e comemorações.

Antes dos três anos de idade eu morava em Brasília, e já tinha me mudado de casa 5 vezes! O sangue cigano corre forte nas veias dos Mendes Miranda…

Voltei a morar em Montes Claros aos 6 anos de idade, e fiquei por lá até os 18 anos. Nesse intervalo, tive a oportunidade de conhecer inúmeras cidades do Norte de Minas… todas cidades pequenas, com muitas coisas em comum.

O ponto de encontro dessas cidades costuma ser a pracinha da igreja, ponto de azaração depois da missa de domingo. Geralmente tem uma sorveteria que faz a festa da cidade, e à noite alguns barzinhos que estimulam os relacionamentos interpessoais dos nativos e a alegria dos forasteiros. Tem muita menina bonita, e nada de ingenuidade ou inocência como diz o imaginário popular. Muito calor, com diferença apenas na umidade do ar, fazendo com que você “frite” ou “cozinhe” no verão. No inverno tem lugar que faz até frio, no alto da Serra do Espinhaço. Se fizer 15 graus já tem gente morrendo congelado!

Bom mesmo é que em cada casa que você vai sempre tem café com biscoito, pão-de-queijo, doces, um almocinho, alguma coisa pra comer. Não pode negar, fica com jeito de falta-de-educação ou desfeita. Mas é um sacrifício comer os quitutes mineiros, né?

E no final sempre acaba arrumando uma fazenda, um sítio, uns cavalos encilhados, rio, cachoeira, ou alguém que tem os esquemas pra entrar no melhor (ou único) clube da cidade e passar o dia inteiro na piscina!

Bocaiúva era caminho pra BH. Nem sei se efetivamente conheci a cidade ou somente a rodoviária e a rodovia que a cruza.

Pirapora é bem legal, primeiro era ponto de parada para almoçar uma excelente moqueca de peixe na viagem para Brasília, depois virou destino de carnaval adolescente. Januária tem um carnaval famoso também, e cachaça da boa.

Meu irmão mais velho morou em João Pinheiro por algum tempo, que juntamente com a vizinha Paracatu virou destino de algumas férias divertidas e festas animadas.

Tem uma cidade que se chama Japonvar, pois fica no entroncamento das cidades de JAnuária, São João da PONte e VARzelândia… aliás, é cada nomezinho que as cidades brasileiras têm viu…

Várzea da Palma, Coração de Jesus, São Francisco, Porteirinha, Grão Mogol, Juramento, Joaquim Felício, Capitão Enéas, Francisco Dumont, Engenheiro Navarro, Engenheiro Dolabela, Barra do Guaicuí, foram destinos de acampamentos escoteiros, com direito a muito carrapato, mato, machucados, aventuras, banho gelado de rio, fogueira para espantar o friozinho da madrugada.

Mato Verde, Monte Azul, Pedra Azul, Varzelândia, Mirabela, Rio Pardo, Itacambira, Glaucilândia, Guaraciama, Patis, Botumirim, Espinosa, São João do Paraíso, são cidades que a gente falava tanto que eu já não sei mais se eu realmente conheci pessoalmente…

Salinas era caminho para Taiobeiras, até descobrir a cachaça, as festas e as meninas.

Nas estradas da região, muito pasto, reflorestamento de eucalipto, e cerrado pra todos os lados. O poeirão vermelho que sobe das estradas de terra, que na época de chuva vira uma lamaceira só. Uma riqueza cultural imensa, e a natureza não fica para trás. O Norte de Minas é um lugar esquecido e pouco valorizado até pelos seus próprios habitantes, mas que tem muita coisa boa e muito potencial.

E muita história, e muita estória… João Guimarães Rosa que o diga!

Anúncios

Ações

Informação

2 responses

12 08 2008
Denir

Belíssimas fotos deste Grande Sertão você pode ver no blog “Beira de Estrada”, do Leo Drummond:
http://beiradeestrada.zip.net/arch2007-09-30_2007-10-06.html

Resp: realmente fotos fantásticas! Tá incluído na minha lista de indicações!

1 09 2008
Henrique

Cara, que legal saber de suas histórias e vida e ver que posso tbem relembrar os bons anos q vivi por aquelas bandas, em Corinto, no meu inicio do BB.
O incrível é “viajar” mesmo nos seus relatos.
Um abção saudoso, sempre, e bons fluidos estejam com você.

Resp: a Grande Montes Claros sempre presente 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: